O CONTEXTO CULTURAL E O CONTEXTO ESCOLAR EM ANGOLA: conhecendo Nzongo – unidade de medida do povo Chokwe na comuna de Camaxilo

  • Carlos Mucuta Santos
  • Cristiane Coppe De Oliveira Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
Palavras-chave: Programa Etnomatemática, Nzongo, Chokwe, Cultura, Contexto escolar

Resumo

Esse artigo é um recorte de um projeto de pesquisa de mestrado, junto ao Programa de Pós- Graduação em Educação da Universidade Lueji N ́Khonde (ULAN), que tem como objetivo minimizar o distanciamento entre o “mundo da escola” e o “mundo da vida” dos alunos Chokwe da região de Camaxilo em Angola. Tomando como fundamentação teórica as propostas do Programa Etnomatemática e o desenvolvimento de unidades de medida desenvolvidas por esse povo, pretende-se apresentar uma unidade de medida Chokwe, o Nzongo com suas subunidades e uma experiência didática do primeiro autor sobre como o conhecimento de medida Chokwe facilita aprendizagem do Sistema Internacional de Unidades (SI). A pesquisa, de cunho qualitativo, buscou, inicialmente, conhecer essa medida em Camaxilo e pensar de que modo a unidade de medida Nzongo, com seu repertório histórico na cultura Chokwe dos alunos, pode aproximar-se do contexto escolar, ao estudarem o sistema de medida universal, que é estranho ao seu dia a dia. Considerando as teorizações do Programa do Ministério da Educação de inserção da língua Chokwe no ensino regular, será proposto por meio da investigação, que seja também inserida, já a partir do ensino primário, a linguagem matemática do Chokwe do Camaxilo com vista ao resgate de valores matemáticos Chokwe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Mucuta Santos
Mestrando do Programa Pós-Graduação em Educação da Universidade Lueji N ́Khonde (ULAN) em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Educação da FEUSP – Dundo/Angola. Docente de física/liceu do Dundo.
Cristiane Coppe De Oliveira, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
Coordenadora do GT 5 historia da matematica e cultura da SBEM. Docente do Programa de Pos-Graduacao em Ensino de Ciencias e Matematica e da FACIP da Universidade Federal de Uberlandia (UFU).

Referências

Angola.(2016).Lei nº 15/16, de 07 de outubro de 2016. Lei de Bases do Sistema de Educação e Ensino.Disponível em: <http://www.parlamento.ao/documents/91849/LEI+ N.º 17-16%2C+LEI+DE+BASE+DO+SISTEMA+DE+EDUCAÇÃO+E+ENSINO.pdf>.

D’Ambrosio, U.(2007).Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade.Belo Horizonte: Autêntica.

Meneses, M. P. (2007). Os Espaços Criados pelas Palavras –racismos, Etnicidades e o Encontro Colonial in Nilma gomes (org.). Formação de Professores e Questão Racial. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

Miller, J.C.(1969).Chokwe Expansion 1850-1900. Madison: Wisconsin University.

Monteiro, A.; Gonçalves, E. C.S.;Santos, J. A.(2007).Etnomatemática e prática social: considerações curriculares. In: J. R. Mendes& R. C. Grando (orgs.) Múltiplos olhares: matemática e produção de conhecimento.São Paulo: Musa Editora.

Moreira, D.(2008).Educação matemática paraa sociedade multicultural. In: P. Palhares (org.) Etnomatemática: um olhar sobre a diversidade cultural e a aprendizagem matemática.Vila Nova de Famalicão: Edições Húmus.

Nascimento, I. F.; João, W.; Santosnsuka, J.K.(2018).Matemática 2ª classe –Manual do aluno.Luanda/Angola: Moderna.

Santos, B.S. (1998). La Globalización del Derecho: los Nuevos Cami–nos de la Regulación y la Emancipación.Bogotá: IlSA, Universidad Nacional de Colombia.

Publicado
2019-10-02
Métricas
  • Visualizações do Artigo 343
  • PDF downloads: 21
Como Citar
Santos, C., & De Oliveira, C. (2019). O CONTEXTO CULTURAL E O CONTEXTO ESCOLAR EM ANGOLA: conhecendo Nzongo – unidade de medida do povo Chokwe na comuna de Camaxilo. Revista De História Da Educação Matemática, 5(2). Recuperado de http://histemat.com.br/index.php/HISTEMAT/article/view/278
Seção
Artigos