A CONSTITUIÇÃO DAS MATEMÁTICAS SOB O OLHAR DOS REGISTROS DE DIÁRIO DE CLASSE: década de 1970

  • Ivanise Gomes Arcanjo Diniz Secretaria de Educação do Estado da Bahia
  • Joubert Lima Ferreira Universidade Federal do Oeste da Bahia
Palavras-chave: Matemática a ensinar, Matemática para ensinar, Diário de classe, Centro Integrado de Educação, Bahia

Resumo

Este texto busca caracterizar a matemática a ensinar e a matemática para ensinar através dos registros dos diários de classe dos professores de matemática em um curso secundário (hoje Ensino Médio) no período da década de 1970. A análise histórica sobre como ocorreu a constituição desses saberes presentes na matemática para ensinar dos professores do 1º ano do 2º grau de uma escola no interior baiano foi respaldada nos estudos sobre saberes a ensinar e para ensinar desenvolvidos por pesquisadores da Equipe de Pesquisa Suíço na História Social da Educação (ERHISE) da Universidade de Genebra, na Suíça, e em recentes estudos sobre a matemática a ensinar e matemática para ensinar do grupo de estudos no Brasil, Grupo de Pesquisa de História da Educação Matemática (GHEMAT), coordenado pelo Professor Doutor Wagner Rodrigues Valente. Nos aspectos teóricos-metodológicos, pretendemos, através dos registros dos diários de classe, compreender os diferentes modos de tratar os saberes para ensinar matemática, tendo como respaldo os saberes objetivados na legislação vigente e nos livros didáticos. Do ponto de vista epistemológico, ao buscar caracterizar os saberes para ensinar, agrega-se a este entendimento reflexões e interrogações sobre as disciplinas escolares no que tange os conteúdos cognitivos e pedagógicos a serem ensinados, em particular os saberes da matemática a ensinar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivanise Gomes Arcanjo Diniz, Secretaria de Educação do Estado da Bahia
Doutoranda e Mestre pelo Programa de Ensino, Filosofia e História das Ciências pela Universidade Federal da Bahia (UFBA, Especialista em Educação Matemática pela Universidade do Estado da Bahia(2002), Especialista em Metodologia do Ensino de Matemática pela Faculdade de Ciências da Bahia (2009) e Licenciada em Matemática pela Universidade do Estado da Bahia (2001).
Joubert Lima Ferreira, Universidade Federal do Oeste da Bahia
Professor da área de Educação Matemática do Centro das Ciências Exatas e das Tecnologias na Universidade Federal do Oeste da Bahia. Professor permanente no Mestrado Profissional em Matemática (PROFMAT), nos cursos de Licenciatura e Bacharelado em Matemática. É líder do Laboratório de Inovação e Pesquisa em Educação Matemática (LIPEM), certificado pelo CNPq junto à UFOB.

Referências

Secretaria de Educação e Cultura da Bahia. Comissão geral de implantação da reforma comissão de currículo. Divisão técnico-pedagógica. O currículo na escola de 1º grau: documento preliminar. Salvador, Ba: Imprensa Oficial da Bahia, 1972. 55p.

Bertini, L.F.; Morais, R. S.; Valente, W. R (2017). A matemática a ensinar e a matemática para ensinar: novos estudos sobre a formação de professores. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Braga, M. N. S. O Programa de Treinamento e Aperfeiçoamento de Professores de Ciências Experimentais e Matemática - PROTAP (1969-1974): Sua contribuição para a modernização do ensino de Matemática. 2012.94f. Dissertação (Mestrado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) – Instituto de Física, Universidade Federal da Bahia/ Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador, 2012.

Burke, P. ¿Qué Es La Historia Del Conocimiento? Como la información dispersa se ha convertido en saber consolidado a lo largo de la historia. Buenos Aires, Argentina: siglo veintiuno, 2017.

Caldas, R. F. L. Recuperação escolar: discurso oficial e cotidiano escolar – um estudo a partir da psicologia escolar. Tese (Instituto de Psicologia da USP). São Paulo: USP, 2010, 265p.

Castrucci, B. et. al.. Matemática. São Paulo: FTD, 1977.

Cusset, Y. L’épistémologie, Um Monopole De La Philosophie? In: Marin, B.; Savatovsky, D. (dir.). Épistémologie, savoirs et champs disciplinaires: questions d’apprentissage. Conférences de consensus de i’iufm de pacadémie de créteil – université paris- est crétiel, crétiel, n.4, p. 103-112, 2013.

Dienes, Z. P. A Matemática Moderna No Ensino Primário. Tradução: Neto, Simões.Livros Horizontes, L.D.A. 4ª Ed, 1977.

Ferreira, J. L. O carvalho para a sombra e os frutos do amanhã: matemática, professores e atividades escolares no Ginásio Mairi (1966-1985). 2013. 141 f. Dissertação (Mestrado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) - Instituto de Física, Universidade Federal da Bahia/ Universidade Estadual de Feira de Santana. Salvador, BA: 2013.

Fontoura, A. A . Didática geral. Rio de janeiro: Editora Aurora, Ltda. 12ª ed, 1967.

França, D. M. de A. Do primário ao primeiro grau: as transformações da matemática nas orientações das Secretarias de Educação de São Paulo (1961 - 1979). 2012.294 f. Tese (Doutorado em Educação) – Instituição Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo. São Paulo, SP: 2012.

Guelli, C. A., Iezzi, G e Dolce, O. Matemática. 1ª série do 2º grau. Editora Moderna Ltda, 1973.

Hofstetter, R. & Schneuwly. B. Savoirs en (trans)formation – au coeur des professions de l’enseignement et de la formation. Bruxelles: Éditions De Boeck Université. 2009.

Iezzi, G.; Murakami, C. Fundamentos de matemática elementar. São Paulo: Editora Atual, v.1-2, 1977.

Julia, D. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, Campinas, N. 1, P. 9-44, 2001.

Lima, E. B. Tecendo projeto histórico de profissionalização docente, no âmbito da matemática nos seus diferentes níveis de formação na Bahia, de 1952 a década de 1980. Projeto de pesquisa, 2016.

Nóvoa, A. O passado e o presente dos professores. In: Nóvoa, A. (org.). Profissão professor. 2. Ed. Porto: Porto Editora, 1999. P. 13-34.

Oliveira Filho, F. O school mathematics study group e o movimento da matemática moderna no brasil. 2009. 204 f. Dissertação (mestrado em educação matemática) – Universidade Bandeirante De São Paulo.

Oliveira Filho, F. A matemática do colégio: livros didáticos e história de uma disciplina escolar. 2013. 562 f. Tese (doutor em educação matemática) - Universidade Anhanguera e São Paulo.

Pinto, N. B.; Novaes, B. W. D. Caracterização de saberes profissionais da matemática para ensinar nos primeiros anos escolares: anotações metodológicas. Revista história da educação. São Paulo, ano 04, n.1, 2018.

Valente, W. R. A matemática da pedagogia: tempos de mudança da cultura escolar. Revista Brasileira de História da Educação. Maringá-PR, v.16, n.4(43), p.10-31 out. /dez. 2016.

Valente, W. R. Saber objetivado e formação de professores: reflexões pedagógico-epistemológicas. Revista História da Educação. São Paulo, v.23; e77747, 2019.

Publicado
2020-12-21
Métricas
  • Visualizações do Artigo 59
  • PDF downloads: 10
Como Citar
Diniz, I., & Ferreira, J. (2020). A CONSTITUIÇÃO DAS MATEMÁTICAS SOB O OLHAR DOS REGISTROS DE DIÁRIO DE CLASSE: década de 1970. Revista De História Da Educação Matemática, 6(3). Recuperado de http://histemat.com.br/index.php/HISTEMAT/article/view/334
Seção
Dossiê - Histórias de uma constituição de saberes matemáticos no ensino