MARIA MONTESSORI E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES: o que dizem as fontes italianas?

  • Alan Rezende
  • Alberto Barausse Universitá degli Studi del Molise, Itália
Palavras-chave: Maria Montessori, Circulação, Formação de professores, Saber profissional, História da educação matemática

Resumo

Neste texto é apresentado um enredo acerca da circulação de Maria Montessori a partir fontes localizadas na Itália, fruto de um estágio sanduíche cujo um dos objetivos foi de estabelecer fios narrativos que pudessem contribuir para melhor entender aspectos que estão relacionados à circulação de Montessori e o seu contexto de produção de saberes para a formação e o ensino nas primeiras décadas do século XX. É possível dizer, pós análise, que a sistematização da proposta de Montessori na forma escrita contribuiu para a divulgação do seu método, haja vista o “boom” pós publicação da Pedagogia Científica e a publicações de artigos de revistas por ela organizadas. Vale dizer, também, que os cursos de formação de professores ganharam, também, papel importante para a circulação do seu método, haja vista as convocatórias a Montessori feitas por parte do Estado, que podem ser consideradas como reconhecimento de uma expertise para responder à uma demanda prática à época.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alan Rezende
Doutorando do Programa de Pós-graduação em Educação e Saúde da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP, Guarulhos, São Paulo, Brasil. Bolsista FAPESP (processo 2018/08760-8).
Alberto Barausse, Universitá degli Studi del Molise, Itália
Professor doutor em Educação, titular em História da Educação na Universitá degli Studi del Molise, Itália – Dipartamento di Scienze Umanistiche, Sociali e della Formazione.

Referências

Babini, V. P; Lama, L (2000). Uma donna nuova. Il feminismo scientifico di Maria Montessori. Milano/Italia: Franco Ageli.

Barausse, A (2004). I maestri all'Università. La Scuola pedagogica di Roma (1904- 1923). Perugia/Italia.: Morlacchi.

Campos, S. B (2017). A institucionalização do Método Montessori no campo educacional brasileiro (1914-1952) (tese de doutorado em Educação). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Santa Catarina.

Covato, C. & Sorge, A. M (1994). L’istruzione normale dalla legge Casati all’età giolittiana, Roma/Italia: Archivio Centrale dello Stato.

Dott, Z (1931). Il movimento Montessori in Germania, Montessori, Roma/Itália, anno I, n. IV, p. 26-30, abr.

Hofstetter, R., Schneuwly, B., Freymond, M. & Boss, F (2017). Penetrar na verdade da escola para ter elementos concretos de sua avaliação – A irresistível institucionalização do expert em educação (século XIX e XX). In: Hofstetter, R.; Valente, W. R. (org.). Saberes em (trans)formação: um tema central da formação de professores. p. 55-112. São Paulo: Livraria da Física.

Meda, J (2016). Mezzi di educazione di massa. Saggi di storia della cultura materiale della scuola tra XIX e XX secolo. Milano/Italia: Franco Ageli.

Montecchi, L (2012). La Scuola Rurale Faina. Un’esperienza di istruzione popolare e agraria nell’Italia rurale del Novecento. Macerata/Itália: EUM.

Montessori, M (1931a). Chiusura del XVI Corso Internazionale Montessori. Montessori. Roma/Itália, anno I, n V-VI, p. 66-68, maio-jun.

Montessori, M (1921b). La pagina bianca. Montessori. Roma/Itália, anno I, n I, p. 6-10, jan.

Montessori, M (1952). Notiziario Italiano. Vita dell’infanzia. Roma/Itália, anno1, n. 5,6,7, p. 55-58, maio-jun-julho.

Montessori, M (1909). Corso di Pedagogia Scientifica. Città di Catello: Società Tip. Editrice.

Montessori, M (1965). Pedagogia científica: a descoberta da criança. Tradução Aury Azélio Brunetti. São Paulo: Editora Flamboyant.

Montessori, M (2004). The Montessori Method. Estados Unidos: Rowman & Littlefield Publishers, Inc.

Oliveira, M. A (2018). Circulação. IN: VALENTE, W. R. Cadernos de trabalhos II. São Paulo: Livraria da Física.

Ostekamp, A (1931). Il movimento Montessori in Olanda. Montessori. Roma/Itália, anno I, n. I, p. 41-44, jan.

Pesci, F (1966). Pedagogia capitolina: L’insegnamento della pedagogia nel Magistero di Roma dal 1872 al 1955. Ricerche Pedagogiche. Parma/Itália, anno 1, n 1.

Pinheiro, N. V. L (2017). A ARITMÉTICA SOB MEDIDA: a matemática em tempos de pedagogia científica. (tese de doutorado em Educação e Saúde). Universidade Federal de São Paulo, Guarulhos. São Paulo.

Rezende, A. M. S (2017). Maria Montessori e as orientações para o ensino dos saberes matemáticos: o que dizem as pesquisas brasileiras? In: Anais do XI Colóquio Internacional "Educação e Contemporaneidade". Recuperado de https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/190648/138-423-2-PB.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Rezende, A. M. S (2018). MARIA MONTESSORI E O SABER PROFISSIONAL DO PROFESSOR QUE ENSINA MATEMÁTICA EM TEMPOS DE ESCOLA NOVA: primeiros resultados. In: Anais do XVI Seminário Temático: provas e exames e a escrita da história da educação matemática. Recuperado de https://xviseminariotematico.paginas.ufsc.br/files/2018/08/REZENDE_T1_vf.pdf

Rezende, A. M. S (2019). MARIA MONTESSORI E OS MATERIAIS PARA O ENSINO: a materialização de saberes. IN: Anais do XVII Seminário Temático: Materiais Didáticos e História da educação matemática. Recuperado de https://www.researchgate.net/publication/336839258_MARIA_MONTESSORI_E_OS_MATERIAIS_PARA_O_ENSINO_a_materializacao_de_saberes

Rezende, A. M. S. & VALENTE, W. R (2020). Materiais Didáticos para o ensino de matemática: condensando saberes profissionais da docência. IN: SANTOS, I. B; BÚRIGO, E. Z; VALENTE, W. R. Materiais Didáticos e a História da Educação Matemática. São Paulo: Livraria da Física.

Tornar, C (2007). La pedagogia di Maria Montessori tra teoria e azione. Milano/Italia: Franco Angeli.

Publicado
2020-12-21
Métricas
  • Visualizações do Artigo 81
  • PDF downloads: 14
Como Citar
Rezende, A., & Barausse, A. (2020). MARIA MONTESSORI E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES: o que dizem as fontes italianas?. Revista De História Da Educação Matemática, 6(3). Recuperado de http://histemat.com.br/index.php/HISTEMAT/article/view/339
Seção
Dossiê - Histórias de uma constituição de saberes matemáticos no ensino