A CONSTITUIÇÃO DA ARITMÉTICA NA ESCOLA PRIMÁRIA PARANAENSE: o que revelam as pesquisas

Danilene Donin Berticelli, Lidiane Gomes dos Santos Felisberto

Resumo


Este artigo tem por objetivo refletir sobre os avanços na investigação em História da Educação Matemática, sobretudo, para a compreensão de como se constituiu a Aritmética no estado do Paraná. Tendo como referência o projeto de pesquisa “Circulação e Apropriação dos Saberes Elementares Matemáticos no Ensino Primário do Estado do Paraná (1903-1971)”, sob a orientação da Prof.ª Dr.ª Neuza Bertoni Pinto, foram selecionados as pesquisas que privilegiaram o estudo da Aritmética. Assim, são considerados cinco trabalhos, sendo duas Dissertações de Mestrado (Almeida, 2016; Felisberto, 2014) e três Teses de Doutorado (Claras, 2016; Eissler, 2017; Portela, 2014). O estudo foi realizado na perspectiva da História Cultural (Chartier, 1990), mesma abordagem utilizada pelos autores em suas pesquisas, e teve como conceito norteador a cultura escolar (Julia, 2001). A análise priorizou a perspectiva metodológica adotada nas pesquisas, as fontes que constituíram a operação historiográfica e os conceitos mobilizados para discutir os resultados. O conjunto das investigações permite compreender que a Aritmética da escola primária paranaense, sobretudo no período de 1900-1930, esteve bem demarcada pelo método intuitivo, com sensíveis alterações que encaminhavam as práticas escolares a novos caminhos. Considerando que duas Teses que avançam em relação ao período estudado sinalizam que mesmo após a consolidação da Escola Nova houve permanências, esta reflexão indica a necessidade de novas investigações que revelem as continuidades e rupturas nas práticas de ensino a partir da década de 1930.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista de História da Educação Matemática